segunda-feira, 20 de junho de 2011

Centenário das Assembléias de Deus

B
CONJUNTO UNIDO DA CIBECAP
18 de junho é marco na história das Assembléias de Deus brasileiras, por ser uma data em que comemora os cem anos de sua fundação.
Milito nas Assembléias de Deus a mais de meio século, tendo percorrido um pouco este país, na pregação do evangelho do Reino, implantando Igrejas, formando obreiros etc. 
Quando menino tive o privilégio de conhecer o saudoso Missionário Daniel Berg, e outros homens extraordinários que marcaram minha vida e ministério. Pastor Paulo Leivas Macalão, Antônio Ianone, Luiz Bezerra da Costa, Amaro José dos Santos, José Marques Sobrinho, Roberto Montanheiro e tantos outros, que; andaram, comeram e conviveram com os pioneiros do evangelho pentecostal.
Acredito que assim como os sacerdotes deveriam ser da tribo de Levi e da família de Arao; os que foram consagrados pelos pioneiros e seus imediatos diretos, trazem sobre si a benção da continuidade ministerial deste mover do Espírito sobre a nação brasileira.
Nos das Assembléias de Deus do Ministério de Madureira do Campo de Passos, temos procurado permanecer fiéis aos princípios que moveram o coração dos obreiros do passado; não tem sido fácil pela degeneração causado por obreiros inescrupulosos, que tem manchado a reputação histórica das nossas Assembléias.
No centenário da nossa querida denominação, vemos a disputa ferrenha por cargos por parte de alguns eminentes, que resultam em mais divisão no Corpo de Cristo. Urge nestes tempos difíceis, ficarmos com olhar fito na pessoa e Obra de Jesus, não se desviando nem para esquerda ou direita.
Em meio às manifestações de desejos por este Brasil afora, temos em meio convencionais as intrigas "palacianas", destilando ódio em vez de amor.
O poder, seja qual for, faz com que amigos se tornem inimigos e causem divisões. Há muito se disputam o "reinado" nos assentos das Convenções Gerais, mas, na época pelo menos havia acordo entre os cabeças, que de dois em dois anos se alternavam na "cadeira do meio" e assim seguiam em frente com suposta aparência de unidade.
O estopim para o rompimento se deu com as chamadas "invasões de campos". A CONAMAD, dado seu crescimento e perda de seu fundador (Pr. Paulo Leivas Macalão), por meio de alguns Campos do Estado do São Paulo, em especial o de Carapicuíba; avançou nos Estados do Nordeste, sendo obrigados pela CGADB a fechar suas congregações ou entregá-las as Convenções Estaduais Locais.
O mesmo aconteceu com o Campo de Rudge Ramos, que foi obrigado a fechar na cidade de Cássia, pois assim obrigou a Convenção Mineira, na liderança do então pastor Anselmo Silvestre, sendo este vinculado a CGADB.

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Rebanho de Deus.


(Atos 20:29;30) -  Porque eu sei isto que, depois da minha partida, entrarão no meio de vós lobos cruéis, que não pouparão ao rebanho; E que de entre vós mesmos se levantarão homens que falarão coisas perversas, para atraírem os discípulos após si.

Sempre ouvi dos pastores antigos e já falecidos, que os  "dias estavam difíceis", imagino, como seria a reação e avaliação se os tais pudessem ver os dias presente. Hoje! Olhamos para o passado, sentindo saudades de coisas boas que eram feitas, que vimos, e ouvimos; e as tristezas nos assoma. A geração do presente, embasbacada com a farta comida que tem a disposição, põem-se a deglutir fast food dos que se rotulam cantores gospel, pregadores "profetas", patriarcas e apóstolos. Não que não tenham homens e mulheres sinceros e compromeitos com Deus e a sua Palavra, Sim! há muitos. Mas devido a contaminação tamanha que vivemos, pela invencionice e vulgaridade do evangelho que muitos dizem ser de "Cristo", os bons tem permanecidos ocultos, em meio as fantasias destes pregoeiros e cancioneiros "gospeis".
O apóstolo Paulo já alertava os crentes de seus dias sobre o que estaria acontecendo, dizendo: que após sua partida "entrariam" lobos cruéis no meio do rebanho, e outros se "levantariam" para atraírem discípulos após si, e isto é claramente visto nos dois tipos de obreiros:
1. Lobos que se vestem de ovelhas - Estes vêm de fora, se transmutam para se parecer ovelhas; alguns nem escondem mais as máscaras, chegam de "cara limpa mesmo", são até convidados para se deleitarem da lã, leite e gordura do rebanho. Me admiro como pastores de igrejas, sabendo o histórico de vida destes "lobos e lobas", aceitam alegremente a presença destes mercenários (as) para se aproveitarem da ingenuidade e docilidade do rebanho; entrega o rebanho, para serem estropiados da lã, gordura e da carne, e ainda deixa as ovelhas doentes. Os tais (lobos e lobas) sãos cantores defasados, artistas descartados da mídia, mestres na arte do ilusionismo barato, bando de "coletores de impostos" atrás do lucro fácil. A pele dos tais (pregação, louvor etc) pode até parecer lã de ovelha, mas a natureza é de lobo cruel mesmo.
2. Ovelhas que se tornam lobos - São aquelas que com o tempo se revela com a "natureza de lobo". Como pastor há anos, tenho enfrentando algumas situações parecidas no ministério. Tais ovelha/lobo existem quando depositamos confiança e cargo em um algum tipo de obreiro ou membro, que se revela mais tarde com interesses daninhos pra unidade do trabalho. Obreiros (as) cuja presteza e dedicação, são convidados (as) a assumir uma congregação, liderança de grupo, até uma posição de confiança ao lado do pastor; mas por causa da inveja e ambição, começam uma ministração estranha junto ao rebanho, no intuito de minar a autoridade principal e dividir o rebanho.
Paulo adverte que os tais "atrairão discípulos". Dizia a um obreiro nosso e dirigente de uma das nossas Igrejas do Campo, que: Igrejas que nascem de divisões, amanhã estarão se dividindo novamente e a qualidade da doutrina de Cristo apregoadas em suas tribunas ficam seriamente comprometidas.
Como cristãos afeito a verdadeira doutrina, temos que nos preocupar em aprender as verdades fundamentais da Bíblia e praticá-las, cantar os hinos tradicionais dos nossos hinários e de acordo com o ritmo e música; pois só assim passaremos para as novas gerações, a pureza do evangelho e a hinologia sacra dos nossos pioneiros.




quinta-feira, 17 de março de 2011

Me reorganizando

Nooossaa…hoje comecei o dia em colocar documentos em ordem e, haja documentos; espero terminar o mais rápido possivel, pois tenho uma fila de obrigações a ser cumpridas.

Hoje a noite é dia de palestra na Câmara Municipal, vamos estar tratando de segurança pública com as autoridades da cidade, sendo eu convidado para manifestar opiniões no melhoramento.

A presidente da Câmara Municipal esteve em minha house, onde falamos sobre algumas experiências, que tenho tido nestes anos todos e nos mais diferentes lugares que tenho passado por este Brasil afora, espero dar minha pequena contribuição, pois a coisa não está fácil pra ninguem, pois a cada dia aparecem “buracos” nesta área, se tornando a vida perigosa pra todos.

Bem! Deixo ver aonde coloco meus documentos “nas nuvens”, pois instalei este aplicativo e me parece que ainda não é o que quero pra ser guardados documentos importantes.

Confio em Deus inteiramente, e estou tentando acreditar que ainda existe lugar seguro, onde? (rs), estou pensando que nas “nuvens” seja uma tentativa razoavel.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Repensando o Modelo.

O modelo de administração e centralização das Assembléias de Deus no Brasil, precisa ser repensado ou reorganizado, pois é notoria sua falência e péssimo atendimento no que se refere ao tamanho da nação assembleiana.
No momento, temos dois modelos históricos que predominam há muito a paisagem brasileira, os quais nos enchem de histórias boas e tristes desde a fundação das Assembléias, que estará comemorando seu centenário neste mes de junho do presente ano. CGADB E CONAMAD
CGADB - Convenção Geral das Assembléias de Deus do Brasil - Pertenci a mesma durante os meus quinze anos de residência no Estado do Ceará, quando de membro fui ao pastorado por esta Convenção e CONAMAD - Convenção Nacional do Ministério de Madureira - A qual pertenci desde criança, e que há dezoito anos milito novamente em suas fileiras; descrevo isto para demonstrar o meu conhecimento prático sobre o assunto a comentar.
Sistemas falidos, porque? Pois ambos incorporam a figura presidencialista e oligarquica de comando.  CGADB quando junto a CONAMAD nas décadas anteriores aos anos oitenta, até que tinham um diferencial e um pouco de democracia na troca de comandos, quando um presidente seria de uma Convenção e o vice de outra, sendo que nos dois anos seguintes invertiam as posições; após o rompimento no fatídico ano de 1988, as Convenções que eram (una) nacionais, se tornaram mais um feudo descrito acima. do que propriamente um local parlamentarista de opiniões e decisões tomada por maioria.
Hoje! O sistema que opera nas Convenções é do compadrio, antiguidade e laços familiares, não havendo espaço pra manifestações independentes, pois se houverem, os que assim agem são discriminados, renegados e visto como um rebelde; isto, quando não o excluem do meio pelo pensar diferente.
Saímos das páginas dos informativos evangélicos para as páginas policiais; saímos dos gabinetes pastorais, para entrarmos nas casas de justiças, pra nos defendermos não do evangelho que pregamos, mas, das maracutaias que são feitas nos conchavos ou de forma oculta no gabinete.
Bom seria que houvesse uma "revolução" nos moldes das que varrem o oriente médio, na deposição dos que se agarram a títulos e cadeira do meio.
A Igreja sente ausência de um homem com a estirpe de Paulo e Estevão para nortear o rumo, do qual estamos há muito afastado, por decisões tomadas por homens, que não tem receio da prestação de contas diante doTribunal de Cristo.
As Assembléias de Deus, deixou se engabelar pelo poder, e com isto os falsos mestres e doutores, tem adentrado com suas filosofias, políticas e tolices, querendo ensinar obreiros que há muito esteiaram este que é o maior MOVIMENTO PENTECOSTAL DO PLANETA.
Sãos os pássaros (anús, urubus e chupim) aninhando-se na "grande árvore" que nasceu da semente de mostarda; nada fazem, mas vivem se aproveitando da avidez das massas, e dando de comer comida estragada para contamina-las.
Tenho grande respeito aos seminários e faculdades de teologia, mas, infelizmente! Não tem sido de hoje, que alguns que se formam, arvorando-se de teologos, mestres e doutores, não tem consigo a preocupação de ensinar de maneira sadia e santa o evangelho de Cristo, mas saem como cruzados a combater a: Moral e Bons Costumes.
Deveriam os tais terem a humildade de reconhecer, que as grandes igrejas e catedrais que existem das Assembléias de Deus por este Brasil afora, foram fundadas em cima de conceitos simples da teologia da salvação e na preservação da moral e (que se diga) dos BONS COSTUMES. Certo que devido aos parcos estudos dos nossos pioneiros e impossibililidade de ter em mãos os recursos maravilhosos da midia que hoje temos, havia pregações associando a salvação com a prática dos bons costumes, mas, isto não é motivo pra chacota que alguns notórios, viessem a escrever suas "obras primas", tal como: Proibido proibir, e diversas outras, pra achincalhar homens que foram usados pelo Espírito Santo, para construir esta potência que é as Assembléias de Deus brasileira.
As convenções nacionais deveriam repensar um modelo mais participativo de poder, e se posicionar de maneira una por principios e bandeiras que sãos nossos, assembleiano mesmo, para sairmos da vergonha que alguns tem nos colocado com suas pregações heréticas e preconceituosas, pelo simples fato de sermos o que sempre fomos: ASSEMBLEIANO.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Tempo de Crises

Interessante as divagações que temos, do nada surgem, e avançam na medida que vamos abrindo um caminho na nossa imaginação. Volta e meia me deparo querendo decifrar o indecifravel, e não adianta em meio aos meus muitos cabelos brancos, tentar me corrigir, dizendo a mim, que tal pensamento é tolice a ser esquecida; mas, em meio aos muitos que vem a minha cachola branca, está justamente neste fervilhante borbulhar de idéias, que tem acrescido aos montes ou melhor montanhas, de sábios e doutores segundo a Bíblia.
Comparo os dias de hoje com a crise do patriarca Jó; homem com tanta experiência e comunhão com o Eterno, a ponto do (o Eterno) mesmo dar testemunho de sua fidelidade e fé, mas que se revolveu em meio a dor, a dúvida e o desamparo das pessoas ao seu redor.
Tanto conhecimento em um homem e seus amigos, que expressaram com seus argumentos as mais profundas reflexões de filosofia e religião, todavia o caos ali estava diante dos seus olhos, sem contundo acharem uma explicação.
A balburdia que ora vivemos desta cristandade andrajada que convivemos, é o retrato da Igreja, debaixo da provação permitida por Deus, para que aja a extração da escória, e apareça o mais reluzante dos metais, o ouro que se purifica através do fogo.
Os amigos de Jó o cercaram cheios de boas razões, assim como hoje nos cercamos ou somos cercados de doutores conforme suas próprias concuspicências, que mais atiçam os males do que os resolvem, que mais nos afastam do Trono da Graça do que esclareçam o Caminho; todavia o que leva a fiel Igreja, cercada de andrajos, ferida e abandonada em sua busca de respostas, é a certeza que o Seu Redentor Vive, e que por fim se Levantará, se manifestará, para levar o mais refinados e purificados dos metais, ou seja: OS QUE FORAM LAVADOS E REMIDOS PELO SANGUE DO CORDEIRO.
Neste dia o CAOS será superado pela ORDEM, e haverá um verdadeiro Príncipio para os que mantiveram SUAS VESTES BRANCAS e mantiveram cheias suas VASILHAS CHEIAS DO ÓLEO DO ESPÍRITO.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Basta a cada dia o seu mal

As tragédias da Serra Fluminense, enchentes em várias partes do mundo, tempestade de neve, vulcões ativos, terremotos, instabilidades sociais e terrorismo; tem sido manchete no nosso dia a dia, do que acontece ao redor do mundo. Tudo o que foi mencionado, deu no espaço de quase um mês, o que vem a ser isso? Sinais do Fim dos Tempos? Ou a rapidez da informação que torna os fatos mais dinâmicos em nossos dias? Acredito que tudo isto e mais a maldade acumulada nos desvão da mesquinharia e ganância incrustrada na natureza humana sem Deus e caída.
Estamos vendo a colheita da plantação maliciosa, que o ser humano tem feito no decorrer dos tempos; colheita esta, que não diferencia o culpado do inocente, e que muitas das vezes levam os vivos ao questionamento do amor e da misericórdia divina.
Todos temos a nossa parcela de culpa, nas mazelas que ocorrem no mundo, e é sabido que sempre se acham os "porquês" de tais fatos ceifarem tantas vidas, mas nós cristãos, temos que reconhecer que estamos falhando na nossa Missão de resgatar a humanidade sem Deus; estamos ocupados demais com coisas comezinhas, fúteis, tais como: briga de convenção, perda de receitas, megas construções, titulos eclesiásticos, posição da nossa cadeira na tribuna e tantas mesquinharias fúteis. O mal já está contido no dia a dia da nossa vida, não é preciso acrescentar mais malignidade nele, necessário é agir (e com urgência), para não se envolver com ele, e com isso deixar espaço para o inimigo acrescentar dor e desespero em corações desejosos do desfrute da Esperança e Amor de Jesus Cristo.
A mando de Deus, somos seus portavozes das Boas Novas de Salvação; salvação não só no sentido de perdão, mas também de resgate da dignidade, esperança, ética e respeito humano. O caos que estamos a viver, não é somente natural, financeiro ou estrutural, mas de valores tradicionais que antes norteavam a humanidade e Igreja; são tantos escândalos produzidos por pessoas (conhecidas e não conhecidas), que faz com o que o mal seja admirado e legalizado no mundo. A Igreja que se diz de Cristo não quer mais seguir "seus passos" e tampouco "carregar a sua cruz", pois o caminho é estreito e a porta que ela terá que passar, também é estreita, sendo a razão da Igreja dita moderna, procurar uma alternativa pra cruz, alargando mais o caminho (um intermédio entre o largo e estreito) e a porta. Hoje a moda (se assim podemos chamar) é "pular o muro" ou ficar em cima dele, triste fim! A culpa? Nossa! Sim! Pois compactuamos com a dúvida e não somos contudentes como Jesus. Quando os discípulos e outros, pensavam que o milagre dos pães e peixes era a confirmação da boa vida que teriam no Reino proclamado desde João Batista, foram convidados por Jesus a descer do "muro" e assumir a responsabilidade de escolha: Come minha carne e bebe do meu sangue, por que se não..."Estão excluídos do Reino". A teologia libertina que muitos pregam, sentados na cadeira do "meio", nada mais é do que a caiação do radicalismo inverso dos doutores da lei e fariseus. O fato de muitos ostentarem a genética de bispos ou apóstolos etc., e arrotarem seus discursos recheados de "gregos e hebraicos", não validam suas teorias libertatórias que tem minado a simplicidade evangélica da verdadeira Igreja. Infelizmente! Hoje, basta qualquer canudo de cursinho básico de teologia, vendido por denominações virtuais, que o sujeito, compra um anel e um título eclesiástico, pra ser recebido e assentado na tribuna da Igreja e ... pregar. Não existe a continuidade da tradição, tal qual foi a minha consagração: Pastor Luiz Bezerra da Costa (com outros) impôs as mãos sobre mim, sendo que ele recebeu as imposições de mãos do pastor José Teixeira Rego, que por sua vez foi consagrado pelos missionários suecos Gunnar Vingren e Daniel Berg; hoje os aventureiros se "autoconsagram" e chegam todos empinados e empapados, querendo se impor em cima de homens que tem história de vida em defesa da verdade e fé. Basta a cada dia o seu mal. Que Deus nos guarde para o grande dia do nosso encontro com seu Filho Jesus Cristo.
Soli Deo, Soli Gratia, Soli Fide, Soli Scriptura.

Seguidores