segunda-feira, 20 de junho de 2011

Centenário das Assembléias de Deus

B
CONJUNTO UNIDO DA CIBECAP
18 de junho é marco na história das Assembléias de Deus brasileiras, por ser uma data em que comemora os cem anos de sua fundação.
Milito nas Assembléias de Deus a mais de meio século, tendo percorrido um pouco este país, na pregação do evangelho do Reino, implantando Igrejas, formando obreiros etc. 
Quando menino tive o privilégio de conhecer o saudoso Missionário Daniel Berg, e outros homens extraordinários que marcaram minha vida e ministério. Pastor Paulo Leivas Macalão, Antônio Ianone, Luiz Bezerra da Costa, Amaro José dos Santos, José Marques Sobrinho, Roberto Montanheiro e tantos outros, que; andaram, comeram e conviveram com os pioneiros do evangelho pentecostal.
Acredito que assim como os sacerdotes deveriam ser da tribo de Levi e da família de Arao; os que foram consagrados pelos pioneiros e seus imediatos diretos, trazem sobre si a benção da continuidade ministerial deste mover do Espírito sobre a nação brasileira.
Nos das Assembléias de Deus do Ministério de Madureira do Campo de Passos, temos procurado permanecer fiéis aos princípios que moveram o coração dos obreiros do passado; não tem sido fácil pela degeneração causado por obreiros inescrupulosos, que tem manchado a reputação histórica das nossas Assembléias.
No centenário da nossa querida denominação, vemos a disputa ferrenha por cargos por parte de alguns eminentes, que resultam em mais divisão no Corpo de Cristo. Urge nestes tempos difíceis, ficarmos com olhar fito na pessoa e Obra de Jesus, não se desviando nem para esquerda ou direita.
Em meio às manifestações de desejos por este Brasil afora, temos em meio convencionais as intrigas "palacianas", destilando ódio em vez de amor.
O poder, seja qual for, faz com que amigos se tornem inimigos e causem divisões. Há muito se disputam o "reinado" nos assentos das Convenções Gerais, mas, na época pelo menos havia acordo entre os cabeças, que de dois em dois anos se alternavam na "cadeira do meio" e assim seguiam em frente com suposta aparência de unidade.
O estopim para o rompimento se deu com as chamadas "invasões de campos". A CONAMAD, dado seu crescimento e perda de seu fundador (Pr. Paulo Leivas Macalão), por meio de alguns Campos do Estado do São Paulo, em especial o de Carapicuíba; avançou nos Estados do Nordeste, sendo obrigados pela CGADB a fechar suas congregações ou entregá-las as Convenções Estaduais Locais.
O mesmo aconteceu com o Campo de Rudge Ramos, que foi obrigado a fechar na cidade de Cássia, pois assim obrigou a Convenção Mineira, na liderança do então pastor Anselmo Silvestre, sendo este vinculado a CGADB.

Nenhum comentário:

Seguidores